17°

Poucas nuvens

Santa Rosa - RS

Geral Brasil

Dia da Consciência Negra: Manifestantes protestam contra o racismo e o governo Bolsonaro

“Estamos celebrando a vida e a liberdade. A vida porque essa pandemia ceifou tantas vidas nossas, que, nós, que ainda estamos vivos, temos que celebrar a memória deles que já foram." Negrogun.

20/11/2021 às 17h18
Por: Redação
Compartilhe:
Dia da Consciência Negra: Manifestantes protestam contra o racismo e o governo Bolsonaro

Manifestantes de vários municípios de Alagoas subiram a Serra da Barriga, em União dos Palmares, neste sábado (20), Dia da Consciência Negra, para protestar contra o racismo e contra a política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os protestos também se espalharam por outras cidades do país.

A concentração do ato alagoano começou às 8h no Centro de União. Os manifestantes fizeram uma trilha de aproximadamente 10 km para chegar ao topo do Quilombo dos Palmares.

Uma passeata foi formada e os participantes usaram faixas, cartazes e em um grito conjunto que dizia: “Na terra de Dandara e Zumbi, genocida não se cria”.

Participam do protesto diversas organizações e movimentos sociais. Entre eles, CUT, a Frente Brasil Popular, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, movimento negro, centrais sindicais e sindicatos, movimentos de mulheres, culturais, de juventude, entre outros.

“O protesto é para reafirmar a necessidade de políticas públicas para a população mais pobre, assim como a garantia de vida. É um protesto contra o desmonte do governo Bolsonaro. É uma data simbólica, até porque a população negra é a mais afetada”, disse Edna Bezerra, integrante do Centro Brasileiro de estudos de saúde.

No Rio

No Rio de Janeiro, o tradicional ato de comemoração do Dia da Consciência Negra em frente ao monumento de Zumbi dos Palmares, foi celebrado na manhã de hoje (20) no centro da cidade do Rio de Janeiro. A manifestação começou logo cedo, com uma roda de capoeira.

O presidente do Conselho Estadual de Direitos do Negro (Cedine), Luiz Eduardo de Oliveira, conhecido como Negrogun, lembra que, em 2021, completam-se 50 anos desde a primeira comemoração da Consciência Negra no país.

“Estamos celebrando a vida e a liberdade. A vida porque essa pandemia ceifou tantas vidas nossas, que, nós, que ainda estamos vivos, temos que celebrar a memória deles que já foram. E a liberdade temos que celebrar sempre, ainda mais num momento em que vemos tantas injustiças, tantos jovens sendo presos, por reconhecimentos absurdos por fotos”, disse Negrogun.

“O racismo não é uma questão individual, personalista. O racismo não é um traço do indivíduo. Ele é uma condicionante que forma a estrutura da nossa nação. Nossa nação foi forjada a partir de princípios que são completamente racistas. A própria ideia de escravidão, como ela se deu, já é o maior sinal disso”, explica o coordenador de Promoção da Igualdade Racial do município do Rio de Janeiro, Jorge Freire.

Negrogun acredita ser difícil acabar com o racismo, justamente porque ele é estrutural, ou seja, está entranhado na cultura da sociedade. “A única forma de você conseguir subjugá-lo é com educação. Se você não trabalhar a educação, a equidade de direitos e acesso à informação, o racismo vai continuar perdurando. A gente sabe que não vai extinguir o racismo nunca, mas a ideia é avançarmos cada vez, desestruturando ele”.

Em São Paulo

Manifestantes foram às ruas neste sábado pelo dia da Consciência Negra e contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em São Paulo, o ato realizado em frente ao Museu de Arte de São Paulo (MASP) foi organizado pelo movimento negro e contou com atividades culturais.

Iniciada às 12h, a manifestação em São Paulo teve uma programação longa: nas primeiras horas se dedicou a atividades culturais, como a reprodução de música de artistas negros em carros de som e o maracatu. A partir das 15h, o tom da manifestação ficou mais político, com o aparecimento de mais bandeiras contra o governo do presidente Bolsonaro e outras defendendo o retorno do ex-presidente Lula à Presidência.

Em Goiânia, o ato teve críticas ao governo federal e protestos contra a inflação dos alimentos e a volta do Brasil ao mapa da fome.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Santa Rosa - RS Atualizado às 05h34 - Fonte: ClimaTempo
17°
Poucas nuvens

Mín. 17° Máx. 28°

Ter 31°C 16°C
Qua 31°C 16°C
Qui 34°C 17°C
Sex 37°C 19°C
Sáb 31°C 17°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete